7 de janeiro de 2008

Como barro nas mãos de Deus


Certo dia, em um lindo jardim por nome Éden, Deus estava por iniciar toda a humanidade que nós conhecemos hoje (Gêneses). Deus, o Criador, como descreve o livro de Gênesis nos seus primeiros capítulos, forma a estrutura do ser humano com a matéria prima por nome terra e seus componentes.
Deus para que pudesse nos formar teve que primeiro nos selecionar entre 200 tipos de barros, pois somente 8 tipos poderiam ser matéria prima útil. Depois disto nos juntou do chão, amassou e entre um período e outro retirava algumas impurezas que poderiam nos atrapalhar.
Todavia, todo o processo desenvolvido pelo nosso Oleiro Divino, era regado com porções de muito amor e carinho. É interessante também sabermos, que Deus deu um nome a sua obra de arte que foi homem – “Adamah” (“pó da terra”, “barro” e “barro vermelho”) e lhe foi soprado o “Huah” ( Sopro de Vida, Espírito).
Algo muito interessante é que “humus” (no latim) é uma palavra que significa “filhos da terra”, ou “humildade”, que faz um belo paralelo com a palavra “Adamah”, e nos faz entender que para sermos uma obra de arte nas mãos do Divino Oleiro precisamos possuir a essência da humildade em nossas vidas. A humildade é como se fosse a água que umedece o barro, facilitando ao Oleiro trabalhar e dar forma a ele.
Mas, talvez você pense, que ser barro é coisa desprezível ou insignificante, sem valor algum, porém, o barro é uma matéria prima muito preciosa, hoje não se dá muita importância pois as grandes construções, edifícios, casas, são construídas de cimento, areia, ferro, pedra, etc; porém, na época dos tempos bíblicos, barro era a matéria essencial para construir algo, como é hoje a alvenaria.
Alguém que é barro é o que é, não pensa ser mais que os outros, não se ensoberbece por suas qualidades, nem se vangloria, não é orgulhoso, nem arrogante, nem presunçoso, muito menos desobediente a palavra de Deus e a autoridade constituída por Ele. Pois o barro só alcança seu ápice de importância quando está nas mãos do Oleiro, pois ali é transformado em uma linda obra de Arte, um belíssimo vaso.
No entanto, quando o Oleiro começa a trabalhar com o vaso, é preciso amassar, apertar, retirar algo de nós e esse processo é muito doloroso e quem sabe você esteja passando por isso. Às vezes, o vaso se quebra na mão do Oleiro, e isso nos trás uma reflexão; quem sabe você estava indo bem na vida, galgando boas experiências, boas conquistas, mas de repente, deu tudo errado, seus planos foram desfeitos, seus projetos frustrados, seu castelo foi a baixo ou seu barco veio a pique. Porém, vaso de barro (você) na mão do Oleiro (Deus) não é desprezado, não se preocupe, quem é barro moldável e macio é reaproveitável, pois o Oleiro (Deus) lhe pega e lhe refaz, lhe concede uma nova oportunidade.
Você, com certeza, se tornará um lindo vaso de ornamento, de utilidade, feito por Deus, por isso deixe o Oleiro trabalhar na sua vida. Talvez você se pergunte: O vaso de barro serve para quê? - Você será usado para ser cheio (Espírito Santo), preenchido (Fruto do Espírito), completo (Dons Espirituais), no qual estará presente a Raiz de Jessé. Permita-se ser trabalhado pelas mãos do Divino Oleiro, por mais que doa Ele sabe o que faz e é para seu bem.
Pense nisso...
Postar um comentário