7 de janeiro de 2008

"Curso de Escutatória"


"Sempre vejo anunciados cursos de oratória. Nunca vi anunciado um curso de 'escutatória'. Todo mundo quer aprender a falar. Ninguém quer aprender a ouvir", escreveu o escritor e psicanalista paulista Rubem Alves no livro O Amor que Acende a Lua (ed. Papirus).
Grande verdade! A maioria das faculdades, universidades e centros acadêmicos em geral, ofertam um curso de oratória. Já que a demanda requer este pré-requisito no currículo de qualquer aspirante a uma boa colocação profissional. Porém, destaca Alves, que nunca viu um curso de “Escutatória”. Em tom cômico, consegue Alves, trazer a tona uma temática que merece consideração.

Há uma grande deficiência nas carreiras dos que não aprenderam escutar. Um líder que não escuta, não serve para ser líder (James C. Hunter, em seu Livro O monge e o executivo, aborda isso). Um pai que não escuta seu filho ou o esposo que não escuta sua esposa, está acentuando as possibilidades de fracassar em seus papeis.

Uma das grandes reclamações das mulheres é que os homens não param para escutá-las. Gary, aborda em seu livro a importância da escuta. Muitas vezes as mulheres não querem presentes, toques, elogios, mas simplesmente que a escutem, depois de uma longa jornada de trabalho (CHAPAMAN, Gary. As cinco linguagens do Amor. Trad. de Iara Vasconcellos. São Paulo: Ed Mc, 1997).

Bem, um dos grandes desafios da humanidade é conseguir parar e ficar silente. Vencer o “tufão” da fala, para dar lugar a “brisa” suave da escuta. No mundo da comunicação, silenciar é perder dinheiro, é perder oportunidades, é rejeitar o sucesso. Mas nas relações pessoais, escutar é investimento.

Mas, o que a Bíblia diz sobre isso?

O conteúdo sobre a necessidade de escuta na bíblia é encontrado em muitas passagens e não diverge de Alves, muito pelo contrário. Vejamos:

1- Deus na escuta
Começamos pelo exemplo do próprio Deus, em Gn 21.17 “E ouviu Deus o choro do menino...”; Também em Êxodo 3.7 “E disse o SENHOR: Tenho visto atentamente a aflição do meu povo, que está no Egito, e tenho ouvido o seu clamor...”. Entendemos que o ouvido de Deus não está agravado conforme Is 59.1 “...nem agravado o seu ouvido, para não poder ouvir”.

2- Deus instrui seu povo a escutar
O salmista declara: Sl 85.8 “Escutarei o que Deus, o SENHOR, falar; porque falará de paz ao seu povo, e aos santos, para que não voltem à loucura”. Quem ouve a Deus é abençoado. Tiago confirma, “Portanto, meus amados irmãos, todo o homem seja pronto para ouvir, tardio para falar, tardio para se irar (Tg 1.19). João, na ilha de Pátmos escreve: “Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas: Ao que vencer, dar-lhe-ei a comer da árvore da vida, que está no meio do paraíso de Deus (Ap 2.7). E essa mesmo expressão se repete por diversas vezes. A bíblia é enfática, precisamos aprender a escutar.

3 - A escuta é uma característica do salvo
O Evangelho de João é rico neste sentido, conforme Jo 8.47 “Quem é de Deus escuta as palavras de Deus; por isso vós não as escutais, porque não sois de Deus”. Aprendemos que uma das características do salvo, é escutar a voz de Deus/Pastor, segundo Jo 10.3 “A este o porteiro abre, e as ovelhas ouvem a sua voz, e chama pelo nome às suas ovelhas, e as traz para fora”. Percebemos que o escutar implica em andar em verdade, pois em João 18.37 diz: “....Todo aquele que é da verdade ouve a minha voz”. Os que andam na mentira podem não escutar a voz de Deus, estão com os ouvidos agravados, o entendimento embrutecido e por isso não podem receber a salvação. Se você não ouve a Deus, não está apto para a salvação.

4- Conseqüências da falta da escuta
Como toda ação gera uma reação (Lei da Semeadura), Tiago esclarece em 1.23-25 assim: Porque, se alguém é ouvinte da palavra, e não cumpridor, é semelhante ao homem que contempla ao espelho o seu rosto natural; - Porque se contempla a si mesmo, e vai-se, e logo se esquece de como era. - Aquele, porém, que atenta bem para a lei perfeita da liberdade, e nisso persevera, não sendo ouvinte esquecidiço, mas fazedor da obra, este tal será bem-aventurado no seu feito. Fica explicito que devemos escutar a Palavra e a praticar, dar crédito, pois assim, receberemos sobre nós as bênçãos da própria Palavra. Até os mortos pelo pecado, se escutarem a voz de Deus, viverão, é o que diz João 5.25: “Em verdade, em verdade vos digo que vem a hora, e agora é, em que os mortos ouvirão a voz do Filho de Deus, e os que a ouvirem viverão”.

Considerações Finais
Deus te convida a matricular-se no curso da “Escutatória”. Talvez as primeiras aulas sejam difíceis e desconfortáveis. Mas uma coisa a Palavra de Deus lhe garante, você será muito abençoado.

Busque silenciar por um instante, escute tudo ao seu redor, escute seu empregado, escute seu amigo, escute seu cônjuge, escute seu filho. Quem sabe suas decisões estão lhe trazendo problemas porque na verdade são tomadas sem as devidas orientações, que podem ser obtidas como um escutador.
Acredite, a partir do momento que você, ouvir antes de agir, evitará grande problemas e resolverá muito outros.

Termino com a seguinte história: Certo homem combinou com sua esposa que viajaria a trabalho para angariar melhores condições financeiras. Deixando sua esposa em casa, passou longos 13 anos ausentes, trabalhando e poupando para retornar e dar a família uma vida melhor. Certo dia, cansado da distância de casa, reuniu todos os ganhos e retornou. Chegando próximo de casa, avista de longe sua residência. Ao anoitecer, com as luzes da casa acessa, percebe pela janela que lá estava sua esposa, porém, acompanhada de um homem. Naquele momento, ficou enfurecido e consigo mesmo fazia muitas conjecturas. Voltar embora? Entrar e assassinar o individuo? Matar os dois? etc. Dá um tempo, esfria a cabeça, controla-se e bate na porta. Sua esposa abre, surpresa lhe abraça e lhe beija e a sala é tomada pela emoção do reencontro. Mas de repente, ela olha para ele e diz: Tenho uma notícia para lhe dar...silêncio no ar...quando você saiu de casa, e não sabia, mas estava grávida. E naquele momento chama o filho, que com 13 anos estava do tamanho da mãe. O menino corre, abraça o pai e todos juntos, passam uma longa noite de felicidade e se inicia uma nova jornada de comunhão.

A história acabou bem, mas tudo porque ele soube silenciar e ouvir. Silencie hoje e ouça quem está tão perto esperando para falar, você poderá poupar muita coisa ruim e propiciar muita coisa boa.

MATRICULE-SE JÁ!
Postar um comentário