18 de abril de 2008

Reportagem RPC sobre a profissão de Teólogo

Compreender para crer

O campo de atuação do teólogo inclui ONGs, escolas, assistência a comunidades carentes, editoras religiosas e trabalho pastoral
Ao iniciar o curso superior de Teologia, Elizandra Joice pretendia unicamente aprimorar sua vida espiritual a partir das revelações presentes na Bíblia. “Eu sou cristã e entendo que Deus nos dá parâmetros para que vivamos melhor, para que evitemos o caos”, diz. Durante a graduação, entretanto, ela percebeu que havia grandes oportunidades de trabalho para os diplomados na área. Formada em 2006 pela Faculdade de Teologia Evangélica de Curitiba (Fatev), Elizandra percorreu o caminho oposto ao da maioria dos recém-graduados. “Assim que terminei o curso, passei a receber convites para proferir palestras sobre ética e comportamento e propostas para trabalhar como professora em escolas vinculadas a tradições religiosas. Nem precisei correr atrás de um emprego”, lembra ela, que hoje dá aulas de Ensino Religioso para turmas da educação infantil e das séries iniciais do ensino fundamental (1ª à 4ª séries) do Colégio Martinus.
Os cursos de Teologia são muito antigos no Brasil, pois as igrejas sempre tiveram a preocupação de formar seus quadros. Mas apenas recentemente o Ministério da Educação reconheceu a Teologia como uma área do conhecimento e os cursos como uma graduação. De acordo com o diretor do bacharelado em Teologia da PUCPR, Mário Antônio Sanches, as funções atribuídas ao teólogo ampliaram-se nos últimos anos e o perfil de quem procura o curso vem se modificando. “Antigamente, fazia o curso quem buscava seguir a carreira religiosa: padres, seminaristas e pastores. Hoje, há predominantemente leigos. Muitos alunos já têm uma profissão e recorrem ao bacharelado em busca de desenvolvimento pessoal. Outros estão engajados em trabalhos religiosos e procuram o aperfeiçoamento profissional”, exemplifica.
No decorrer do curso, os alunos estudam a história, os fenômenos e as tradições religiosas, sobretudo por intermédio dos textos sagrados. Também associam essas informações a outras áreas do conhecimento, como a Antropologia e a Sociologia, avaliando a influência do Cristianismo sobre a organização e a dinâmica da sociedade.
Segundo Sanches, o bacharel em Teologia pode trabalhar como assessor na área de responsabilidade social de empresas, em ONGs que realizam trabalhos sociais voltados para a religião, em instituições de assistência a comunidades carentes, em editoras e livrarias religiosas e como pesquisador e professor nas universidades. Este profissional também está capacitado a dar aulas de Religião em colégios particulares de caráter confessional. Há vagas ainda para atuar como agente pastoral em hospitais, realizando o aconselhamento de pessoas em situação de crise, e nas escolas confessionais, organizando palestras e eventos, entre outras funções.


Fonte:http://portal.rpc.com.br/gazetadopovo/vestibular/conteudo.phtml?tl=1&id=756093&tit=Compreender-para-crer
ultima = 1;

Postar um comentário