26 de agosto de 2008

Integridade

“Agora, pois, temei ao Senhor, servi-o com integridade e com fidelidade...” Js 24.14

Se analisarmos os sinônimos de integridade, ou íntegro: inteiro, completo, perfeito, exato, verificamos que essa qualidade, infelizmente, não se faz presente em muitos cristãos atualmente. Eu não posso apenas posicionalmente estar em Cristo. Devo “tornar-me o que sou”. Isso é necessário para a batalha espiritual.
Deus não quer que o sirvamos apenas em alguns dias da semana, em certas situações ou com qualquer espécie de parcialidade. Ele quer que sejamos totalmente separados deste mundo em sua maneira de viver, para que possamos servi-lo com inteireza, com tudo que há em nós.

Nada é automático na vida cristã. Não se cresce em integridade esperando, dia após dia, a Graça para nossos pecados. Devemos usufruir a Graça para reter tudo o que Deus nos tem ensinado, para buscar primeiro o Reino de Deus e para obter forças para resistir ao diabo. Muitos crentes procuram uma vida íntegra onde não podem encontrar.
Tudo começa em nosso coração, que na Bíblia não é apenas uma bomba de carne, mas um centro de controle da nossa vida. É o responsável pelo funcionamento da vida. “Bem-aventurados os limpos de coração, porque verão a Deus” (Mt 5.8). Hoje em dia, existem pessoas mundanas éticas que não são santas, são honestas. Mas para ser santo é necessário ser ético.

A Bíblia nos relata o belo exemplo de Daniel, cujo traço mais marcante de sua vida era sua integridade. Daniel foi constituído um dos três presidentes da Babilônia pelo rei Dario. Daniel se destacou entre esses presidentes e o rei queria colocá-lo sobre todo o reino, por causa de seu espírito excelente (Dn 6.3). Podemos destacar 4 marcas ou sinais da integridade de Daniel:



1. Um Espírito Excelente

Para se ter integridade é necessário ter uma atitude correta em tudo que se faz. O filósofo francês Blaise Pascal dizia o seguinte: “A virtude de um homem mede-se não por ações excepcionais, mas pelos hábitos cotidianos”.
Como está sendo nossa atitude no trabalho, na escola, no lar ou mesmo na igreja?



2. Fiel em seu Trabalho

Há uma versão bíblica que diz que Daniel era “fiel no desempenho de suas funções oficiais”. O Dr. Russell Shedd aponta: “Quem não pode se comprometer com uma pessoa tem dificuldade de se comprometer com seu trabalho”.
Como é triste ouvir de profissionais liberais, comerciantes e empresários que seus empregados crentes não são fiéis em seu trabalho, etc. O Salmo 15 de Davi diz: “Quem Senhor, habitará no teu tabernáculo? Quem há de morar no teu santo monte? O que vive com integridade, e pratica a justiça, e de coração, fala a verdade; o que não difama com sua língua, não faz mal ao próximo, nem lança injúria contra o seu vizinho”. Em relação a servos e a senhores o apóstolo Paulo os exorta em Efésios 6.5-9, para se ter uma atitude de fidelidade e integridade em suas funções.
A integridade é algo indispensável na vida de um líder cristão e para sua fidelidade em seu trabalho. Podemos ilustrar um líder cristão como uma cebola:

O que não se vê em minha vida é o que me dá autoridade como líder. No caso de Daniel, o que naturalmente não se via (santidade, integridade), foi submetido a uma investigação por aqueles que em sua intimidade procuravam erros.



3. Pureza Pessoal


Já no início do livro diz que Daniel resolveu, firmemente, não se contaminar com as finas iguarias do rei, nem com vinho que ele bebia. Podemos ver também, em Gn 39, que José decidiu de antemão não pecar contra Deus. Algo que Davi não fez e pelo seu distanciamento da presença do Pai, veio a pecar. A Bíblia não diz que o ético, o moral verá a Deus, diz que o puro de coração sim!
“Daniel era jovem e, certamente tinha bom apetite; a tentação de comer dos pratinhos da mesa do rei devia ser grande. É fácil imaginar algumas das razões que os patrícios de Daniel alegaram para induzi-lo a pecar: tem juízo Daniel, estamos agora na capital do mundo entre um povo adiantado. Estamos ausentes de nosso povo e companheiros religiosos e não é possível guardar todas as leis de Deus. A qualidade da alimentação que comemos é de pouca importância. Há muito perigo na atitude que estás resolvido a tomar, não só perigo de perderes muitas bênçãos do rei, mas até a tua vida. O crente que não assenta definitivamente no próprio coração a não se contaminar com as coisas mínimas e consideradas insignificantes, não permanecerá fiel. Lc 16.10. Daniel, porém, tinha assentado firmemente em seu coração a não se contaminar. Reconhecia que contaminando-se com uma coisa que parecesse insignificante, ficaria contaminado depois em tudo. A nossa vida espiritual é como algumas qualidades de meias; puxando-se um só fio, a meia inteira se desfaz. Deus só pode abençoar aqueles que corajosamente avançam contra a temível correnteza de mundanismo. No Talmud, livro de tradições dos judeus, está escrito: “A figueira é figueira mesmo no deserto”. Espada Cortante – O.S. Boyer



4. Um Caminhar Constante com Deus

Mesmo depois de ter constatado o novo decreto do rei, Daniel foi orar ao seu Deus “como costumava fazer”.
Ser íntegro é ser fiel, verdadeiro, completo, buscando a justiça, conduzindo-se retamente, caminhando em todo o tempo com o Pai, independentemente das circunstâncias, pagando aos outros o amor que é devido segundo a aliança que se tem com o Deus de amor.
“Quem anda em integridade anda seguro”. Pv 10.9



E. Henrique Pesch
Formado em Letras (Português-Inglês), Pós-graduado em Comunicação Corporativa, tradutor, revisor, professor de inglês/português e EBD.
Postar um comentário