12 de dezembro de 2008

Epidemia na Polícia Brasileira - "Atiromania"


Como é do conhecimento de todos, o menino João Roberto, de 3 anos, foi morto há uma semana, também por uma perseguição policial, na Tijuca, depois de o carro em que estava ter sido confundido com o de bandidos. A mãe do menino, a advogada Alessandra Soares, não aceitou o pedido de desculpa do secretário Beltrame nem do governador Sérgio Cabral: “Só eu sei o que estou passando... A sensação que eu tenho é que eles terão que dar desculpas para outras pessoas. Tenho outro filho e temo muito pela vida desse outro filho”.

A cada dia que passa, os fatos nos provam que os bandidos conseguiram mexer com a estrutura da polícia brasileira. De um lado bandidos com dedos leves no gatilho e de outro, bandidos...ops, "policiais", também com dedos leves no gatilho.

Certo cidadão chegou a dizer que a tragédia ocorreu devido a baixa visibilidade para o interior do carro, devido a película protetora. Isso é inconcebível, pois na dúvida, não atire! O que na pratica não é observado. E ainda mais, quando se deve atirar? Em quem se deve atirar? E se deve atirar? Perguntas que não querem calar...

Em fim, o que percebemos é que a polícia está em crise diante de tantos bandidos, assassinos e comparsas. No afã de neutralizá-los, estão matando gente inocente. A epidemia que eu intitulei como “Atiromania” infectou os policiais e eu pergunto: alguém ai, conhece algum infectologista togado nesta linha de especialidade?

Bem, enquanto não se encontra um, quem sabe possamos buscar a ajuda do Médico dos Médicos, Jesus Cristo. Ele é o guarda de Israel (Salmo 121.4), Ele é o nosso rochedo (Salmo 95.1), Ele é nosso protetor (Isaías 19.20) Ele envia seus anjos para nos guardar (Salmo 34.7) e podemos manter a esperança que em nossa nova casa (João 14), teremos plena paz e segurança, não haverá ladrões, pois lá não entraram, não haverá tiros, pois lá não tem armas, não haverá choro, pois lá não haverá tristeza.

Glória a Deus! Nosso país, precisa de Jesus, o médico por excelência, é gabaritado em todas especialidades, inclusive na “atiromania”, pois, sendo rei, Senhor dos Exércitos, nunca precisou portar um arma e nem por isso, foi um perdedor.

Foi infectado, chame Jesus.

Pb. Ivan Tadeu
Postar um comentário