11 de dezembro de 2008

Shopping-latria




É puramente normal no período do final de ano as pessoas saírem para as compras. Afinal de contas, "eu trabalhei o ano todo e mereço um presente para satisfazer-me".

É exatamente no final de ano que majoram os rendimentos através do 13º salário e as vezes acumulado das férias, levando-nos subitamente a experimentarmos uma sensação de liberdade, de poder e até de insanidade muitas vezes.

Pois tenho percebido que é exatamente neste período anual que as pessoas comprometem todo o orçamento do restante do novo ano que ainda está por se iniciar e reserva intrinsecamente várias e múltiplas surpresas, entre elas, um possível desemprego, ainda mais, diante desta crise mundial financeira.

O tema desta reflexão, "Shopping-latria", é como chamo este comportamento que se desencadeia exatamente neste período, acompanhado de atitudes profundamente consumistas impensadas e irresponsáveis. Pois de uma forma desgovernada, pessoas de diversas classes sociais fazem o que não poderiam fazer, movidas pelas emoções afloradas através das mídias que investem pesado para convencer-nos simplesmente e nada mais que isso, "comprar até o que não precisamos".

O resultado é que logo no início do ano, quando é preciso comprar os materiais escolares das crianças, fazer a matrícula da faculdade ou colégio, pagar o IPVA do carro, pagar o IPTU da casa, pagar o seguro do carro...estamos de cabelos um pé, pois não temos como fazê-lo e logo fugimos para a solução mais prática e imediata que conhecemos, "fazer um empréstimo". Isso redundará em maior dívida, que possivelmente, só conseguiremos pagar no final do ano, quando então, faremos novas dívidas e o ciclo vicioso continua.

Quebremos o altar do "Shopping-latria" em nossas vidas! Pensemos melhor, pesquisemos melhor, façamos uma reserva. Não é somente as viúvas da parábola que precisam de reservas, nós também, e financeiramente.

Que Deus nos ajude a manter uma vida equilibrada e sã. Quer começar um ano novo abençoado sem dores de cabeça, sem insônia, sem pressão alta, sem preocupações desnecessárias? Então, não faça dívidas.

“Filho meu, se aceitares as minhas palavras e esconderes contigo os meus mandamentos, para fazeres atento à sabedoria o teu ouvido e para inclinares o coração ao entendimento, e, se clamares por inteligência, e por entendimento alçares a voz, se buscares a sabedoria como a prata e como a tesouros escondidos a procurares, então, entenderás o temor do SENHOR e acharás o conhecimento de Deus. Porque o SENHOR dá a sabedoria, e da sua boca vem a inteligência e o entendimento” (Provérbios 2.1-6).

Forte abraço e até a próxima.

Pb. Ivan Tadeu
Postar um comentário