17 de fevereiro de 2009

UM GRANDE PROBLEMA OU UM IMENSURÁVEL DEUS


Tenho uma linda filha que se chama Anne Polyana, é claro que a mãe Alessandra escolheu o primeiro nome Anne e a minha escolha foi Polyana. Com o passar do tempo algumas pessoas começaram comentar à respeito de uma obra escrita por Eleanor H. Porter. Confesso que fiquei curioso em conhecer esta obra, pois todos que tinham lido faziam excelentes comentários sobre ela, inclusive minha sogra que diz gostar muito desta literatura e agora mais, pois tem uma neta com aquele nome.


Quando tive a oportunidade de conhecer esta literatura, descobri que se trata de um clássico da literatura infanto–juvenil, escrito em 1912 e foi inicialmente publicado em capítulos no jornal Christian Herald, de Boston, ganhando forma de livro em 1913 e de imediato tornou – se um best seller traduzido em quase todas as línguas e nunca mais parou de ser lido. Foi filmado em 1920 e refilmado muitas vezes, inclusive pelos estúdios Disney e no Brasil com tradução de Monteiro Lobato, sendo publicado pela primeira vez em 1934.


A história desta rica obra é muito atraente, Pollyanna é uma jovem que tem como característica um otimismo incurável, ela não aceita desculpas para infelicidade e empenha – se de corpo e alma em ensinar às pessoas o caminho de superar a tristeza e a vida negativa. Importante destacar que os seus princípios foram adquiridos num contexto de sua vida cristã tendo em vista que relata ser filha de Pastor Missionário.


Lendo a obra me surpreendi por várias vezes comovido a chorar, principalmente quando a jovem através de suas experiências de vida aprendida com seu pai, quando esse colocava – se a motivar as outras pessoas a fim de buscarem algo de bom para se alegrar. O seu objetivo era fazer com que as pessoas conseguissem em meio às tristezas e desapontamentos buscarem um bom motivo para estar contente, por exemplo: Ela começa a incentivar a Nancy que é outra personagem da obra. Ela encarava isto como o “jogo do contente” assim ela prossegue: “... sabe eu queria uma boneca, e meu pai havia escrito pedindo que a mandassem (lembrando que ele estava na obra missionária), mas quando o barril chegou, não havia bonecas, e sim um par de pequenas muletas. Acharam que poderiam ser úteis para alguma criança, foi aí que iniciou tudo. O jogo era encontrar um motivo para ficar contente com todas as coisas, sem se importa com o que fosse. E começamos com as muletas. Pollyanna dizia: - eu não consigo ver nada para ficar contente com isso. Receber um par de muletas quando eu queria uma boneca. Mas existia um motivo para ficar contente e meu pai teve de me dizer: - porque não ficar contente pelo fato de não precisar delas? Então Pollyana exultou triunfante. Essa é uma minúscula parte daquilo que retrata a obra clássica por nome de POLLYANNA.


Não poderia, contudo deixar de questionar a mim mesmo diante dos fatos apontados por ela. Uma das perguntas que fiz, foi: Quantas vezes somos levados em meio as circunstâncias a valorizar um único “pontinho preto no meio do quadro branco”. Por incrível que pareça até mesmo os discípulos de Jesus provaram deste fato que tem sufocado a muitos ainda hoje. Quem sabe você pode ser uma dessas vítimas? Que não consegue encontrar em meio às dificuldades motivação para estar contente, segurança ou ainda esperança e tantas outras virtudes que Jesus Cristo conquistou para nós. Vamos enumerar algumas situações que os próprios personagens da bíblia precisaram aprender.


Jesus acalma o medo dos discípulos quando o viram andando sobre o mar (Jo 6. 16-21);
É impressionante, se você verificar esta passagem bíblica, vai encontrar uma situação mais ou menos assim: Os discípulos estão se dirigindo para cafarnaum e já era noite, o mar fica agitado por causa de um forte vento, de repente eles observam que alguém esta andando por cima do mar e se aproximava deles. Os discípulos ficaram perplexos com muito medo a ponto de esquecer do mar agitado e do vento, Jesus vendo esta situação ao invés de acalmar o mar Ele acalmou os discípulos, e isto nos ensina algumas coisas.
* Muitas vezes as maiores tempestades estão dentro de nós;
* Muitas vezes diante da quebra de alguns paradigmas ficamos com a mente um tanto confusa, porém não podemos esquecer que temos um objetivo para alcançar, e o deles era chegar em Cafarnaum, e o seu qual é?
* Muitas vezes encontramos dificuldades para entender, que o caminho de Deus não é o nosso caminho;
* Porém quando reconhecemos que é o Senhor e o recebemos, chegamos ao objetivo, pois no barco da vida se tivermos Jesus Cristo conosco, chegaremos a bons portos (Sl. 107.30).

O apóstolo Paulo como prisioneiro muitas vezes conseguiu agir de modo que, poucos Cristãos ou muitas pessoas de fé hoje não conseguem;
* Em Atos 16. 22- 23, Paulo e Silas são açoitados e lançados numa prisão e se não bastasse tiveram seus pés seguros ou presos a um tronco. Mas encontraram motivação suficiente para Orar e Louvar a Deus em meio a esta situação;
* Em Atos 14. 19 – 22, Paulo é apredejado e arrastado para fora da cidade de forma que o tinham como morto, mas passado algum tempo arrodeado pelos discípulos Paulo se levanta entre eles e entra novamente na cidade, e no dia seguinte juntamente com Barnabé segue para Derbe e mais tarde retorna ao cenário onde foi maltratado e encontra grande motivação para animar os discípulos ali a perseverarem na fé, pois por muitas tribulações nos importa entrar no reino de Deus.
* Em Atos 27, a situação ali também é de grande adversidade e perigo, porém nem o naufrágio do navio que estavam, foi suficiente para fazer Paulo abaixar a cabeça e pedir a morte. Não, ele diz o contrário no vers. 23,25: “Porque esta mesma noite o anjo de Deus, de quem eu sou, e a quem sirvo, esteve comigo. Portanto, ó senhores, tende bom ânimo; porque creio em Deus, que há de acontecer assim como a mim me foi dito”.

Enfim meus amigos, poderíamos buscar várias outras situações para ilustrar e lhes chamar a atenção para a seguinte pergunta - Qual situação você tem valorizado? Será a presente dificuldade das quais ninguém esta livre? - O próprio Jesus disse: Tende bom ânimo no mundo tereis aflições, mas Eu venci o mundo (Jo. 16.33). Pergunto lhe ainda, você tem um “Grande problema, ou um Imensurável Deus? - Se sua resposta for um grande problema, então desejo lhe apresentar o Imensurável Deus que pode fazer muito mais além daquilo que pensamos ou pedimos, quando Ele quer agir ninguém pode impedir. E tenha certeza que a mão do SENHOR não está encolhida, para que não possa salvar; nem agravado o seu ouvido, para não poder ouvir (Is. 59.1). Para finalizar quero apenas lembrar da promessa de Jesus Cristo quando disse: “...e eis que eu estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos. Amém” (Mt.28.20).

BIBLIOGRAFIA
PORTE, H. Eleanor. Pollyanna. Coleção a Obra Prima de Cada Autor. Ed. Martin Claret. São Paulo, 2007.

Pb. Alexsandro V. do Prado Cunha
Alex_teol@pop.com.br
Alex.teol@gmail.com
(041) 3037- 3431/9187-6456

Postar um comentário