25 de janeiro de 2010

Guerras, fomes, terremotos – Princípio das Dores!



"...ouvireis falar em guerras e rumores de guerras..., porquanto se levantará nação contra nação..., e haverá fomes e terremotos em vários lugares; porém tudo isto é o princípio das dores" (Mt 24.6,7)



Não há como ficar indiferente diante da tragédia que ocorreu com o povo da Haiti. Este país que foi o primeiro a conquistar sua independência na América Latina tem uma longa história de sofrimento desde sua colonização até nossos dias com seus governantes corruptos e carência total de desenvolvimento. Se não bastasse, o país fica no Caribe, lugar muito lindo, mas numa rota de freqüentes furacões que por várias vezes assolaram a ilha. Também está sobre as fronteiras de placas tectônicas que quando decidem se “mexer” um pouco causam catástrofes como a que vimos. Somado a isto, é um povo em que a maioria está cega espiritualmente com muitos nas práticas religiosas do Vodu, que mistura feitiçaria e outros elementos das religiões tribais africanas.


Uma pesquisa recente observou que 30% dos maiores terremotos da história da humanidade se deram do ano 2000 para cá! Para aqueles que amam e crêem na Bíblia e no que ela diz sobre o fim dos tempos, não há como não fazer uma relação entre tantas tragédias naturais recentes com profecias ditas há muito tempo. No sermão profético relatado em Mateus 24, Jesus diz que certamente ouviremos falar em guerras. Isto é fato, pois nos últimos cem anos se ouviu muito em guerras. Mas o sermão continua predizendo que se levantaria nação contra nação, reino contra reino. E o século XX foi marcado particularmente por estes conflitos. Somente nas duas guerras mundiais morreram mais pessoas que em todas as outras da história juntas. E até hoje os rumores de guerra persistem. Existe uma tensão constante e ameaças de guerra na região da Caxemira que divide o Paquistão e a Índia. O lunático presidente do Irá já disse que o maior objetivo dele e seu povo é a eliminação de Israel. E até por aqui, na “pacífica” América do Sul já se ouve em rumores de guerra especialmente pelo insensato líder venezuelano Hugo Chavez.

Outro sinal é a fome. Por mais desenvolvido que o ser humano esteja a fome e sua dura realidade continuam a fazer parte de nossa existência sócio-histórica. São os paradoxos do homem que consegue ir cada vez mais longe da Terra observando o espaço com possíveis luas-de-mel na Lua, mas não consegue suprir a necessidade mais básica de um indivíduo que é o alimento. Em nosso país o programa Fome Zero do governo federal veio com esta finalidade, pois também vivemos, ainda que menos que tempos atrás, esta angústia.

Leia mais



Na última parte do versículo 7 de Mateus 24 vemos então, em meu ponto de vista, um dos piores sinais deste princípio das dores – os terremotos. O Senhor diz que haveria terremotos em vários lugares. Isto é verdade? Vejamos: - 12 de maio de 2008: Um terremoto atinge a província de Sichuan, no sudoeste da China (87 mil mortos, 370 mil feridas); - 27 de maio de 2006: mais de 5,7 mil pessoas morrem quando outro tremor de 6,2 graus atinge a ilha de Java, na Indonésia; - 8 de outubro de 2005: um tremor de 7,6 graus atinge o norte do Paquistão e a região da Caxemira, matando mais de 73 mil pessoas e deixando milhões de desabrigados; - 26 de dezembro de 2004: um tremor de 9,2 graus no Oceano Índico gera um tsunami que atinge vários países da Ásia, matando quase 300 mil pessoas; - 26 de dezembro de 2003: mais de 26 mil pessoas morrem após um terremoto no sul do Irã; - 21 de maio de 2003: a Argélia sofre seu pior terremoto em mais de duas décadas. Mais de 2 mil pessoas morrem e pelo menos 8 mil ficam feridas; - 26 de janeiro de 2001: um terremoto de 7,9 graus destrói boa parte do Estado de Gujarat, no noroeste da Índia, matando quase 20 mil pessoas e deixando mais de 1 milhão de desabrigados.



Somente nesta última década, contando apenas os maiores, 8 lugares foram atingidos por este fenômeno natural incluindo o Haiti. No entanto nosso Senhor afirma que isto é o princípio das dores. Se é o princípio quer dizer que à medida que o tempo passa, a intensidade da dor aumenta, como o princípio das dores de parto de uma mulher. O texto continua apontando para outros sinais destes tempos, porém se focarmos apenas nestes três: guerras, fomes e terremotos, podemos concluir claramente que já estamos vivendo o início do fim. Evitando ser sensacionalista insinuando que devemos subir nos montes e esperar a Volta de Jesus, ou compactuando com este espírito apocalíptico que faz previsões e até sucessos como em filmes - 2012 é um exemplo - não há como analisar tudo o que está ocorrendo à luz das Escrituras e não aguardar esperançosamente a nossa jornada aos céus! Aliás, falando em filmes apocalípticos, outros serão lançados brevemente retratando calamidades e o fim da civilização como The Book of Eli [O Livro de Eli], Day One [O Primeiro Dia], The Colony [A Colônia], e The Road [A Estrada], segundo artigo no The Wall Street Journal, de 31 de julho de 2009, intitualdo “Hollywood Destrói o Mundo”.



Interessante notarmos que guerras e fomes são consequências naturais do afastamento do homem de Deus que o faz impor sua justiça com as próprias mãos. Não entrando na discussão de guerras justas ou injustas, a questão é que este mundo está mergulhado em violência. A fome é outro ponto em que se percebe claramente a falta de justiça do sistema governante mundial em que não propicia a todos igualdade, pois a bíblia diz que nossas justiças são como trapo de imundícia (Is 64.6). No entanto os terremotos são ações da própria natureza. Diferentemente do aquecimento global e suas conseqüências, causado pela ação do homem, os terremotos acontecem por si só e não há nada que podemos fazer para evitar, a não ser de evitar de nos estabelecermos em cima das divisões das placas tectônicas. É algo que Deus fez assim como já antecipando que este mundo terá um fim e de que um dia teremos tudo novo como João viu: "Vi novo céu e nova terra, pois o primeiro céu e a primeira terra passaram" (Ap 21.1). O fato é que vivemos o princípio das dores e sua intensificação é certa! Jesus disse neste mesmo sermão que quando virmos estas coisas estejamos cientes de que o fim está próximo. Será que isto não deve ser nosso alento e nossa esperança, pois somos peregrinos nesta Terra? Portanto, continuemos proclamando as boas novas e trabalhando para seu reino até que Ele volte.



Colunista: E. Henrique Pesch









Postar um comentário