11 de janeiro de 2010

Minhas experiências da segunda viagem para o Recôncavo Baiano – Parte I


Eram 21:35 e nós ( eu e minha esposa) estamos curtindo nosso sofá, depois de um dia duro de trabalho, na tão esperada sexta-feira. Eu já havia arrumado a mala para viagem e agora só restava deitar e repousar. Antes disso, arrumei o despertador do celular para me “assustar” as 6 da matina, já que as 8, pegaria o avião para Salvador.


Depois de umas boas viradas para cá e acolá peguei no sono. Lá pela manhã, meio sonolento, sem ter ouvido o susto do relógio, resolvi pegar o mesmo e dar uma olhadinha na hora. Foi então, quando, levei outro susto! E rompi logo com um grito moderado: Amor, já são 10 para as 7!

Levantamos correndo...nunca me arrumei tão rápido e minha esposa também não. 7 horas saímos de casa rumo ao aeroporto Afonso Pena/Ctba, orando para que o voou estivesse atrasado.Engraçado, enquanto muitos desejavam ir no horário, eu estava na contra mão.

Semelhante ao papa-légas, eu percorri as avenidas próximos de minha casa até o aeroporto. Bati meu Recorde, fiz em 23 minutos de casa até lá. É claro, com a ajuda de alguns anjos na frente guardando...rrsrsrs

Corri na frente, fiz o check int , enquanto Alessandra trazia uma mala de mão. Quando graças a Deus terminei, a atendente disse: Pode entrar, o embarque está liberado! Corri e entrei no tão esperado voou, dando glória a Deus. Rumo a cidade de Mata de São João/BA

Meu vizinho de voo

Sentei e comecei a ler, como de costume. Ao meu lado estava um senhor muito simpático, de boa aparecia, semblante tranqüilo e com um livro pelo título – Doze homens e uma missão. Não agüentei e perguntei: O senhor é cristão? – Ele disse: Sim, metodista!

Que notícia boa. Começamos a conversar sobre temas religiosos, e ele contou sobre suas experiências na Europa, entre elas a da Inglaterra e as igrejas visitadas, um verdadeiro marco histórico. E num determinado momento da conversa, me falou sobre a flexibilidade, um tema relevante!

Advogado de formação e cristão de berço, ele começou a falar que precisamos ter mais flexibilidade. Comentou que Jesus fora flexível, que Deus é flexível e que para vivermos melhor, precisamos aprender tal riqueza. Sem perder nossa essência e sem se contaminar, mas acolher, suportar, tolerar, cobras menos e conviver mais. Fora uma boa conversa. Entre estes e outros temas pousamos em Salvador. Havia chegado no destino e conhecido um irmão e agora, um amigo. Ele, sua esposa e filha passariam alguns dias de férias da região de Salvador.

Descendo no aeroporto me deparei com aquele gigante, o calor. Ar quente, abafado, muitas pessoas, o sotaque peculiar dos baianos e a certeza que Deus estava preparando grandes coisas para este final de semana na Igreja de Mata de São João.

Logo encontrei o Pr. Rau dos Santos (Presidente da Ad em Mata de São João) e o Pb. Rafael que foram me recepcionar. Depois de um passeio por Camaçari, um almoço estilo baiano, cheguei no hotel. E lá chegando comecei a escrever o que postei à você. Esperem, logo postarei a parte II...

Ivan Tadeu

Postar um comentário