10 de março de 2010

ELOGIO OU BAJULAÇÃO, EIS A QUESTÃO ?



Quem não gosta de um elogio? As mulheres que o digam. A final de conta o elogio valoriza a pessoa, as suas atitudes. Ele reconhece a nobreza de uma ação que pode ser um gesto comum, porém esquecido na sua pratica, e que naquele momento alguém o executou com precisão. Sem contar que o elogio pode nos motivar a buscar sempre estar melhorando. Também pode ser um gesto cima da média como diria alguém.

Lembro-me de um personagem bíblico que na realidade era um sheik rico e muito influente, rico em termos de rebanho não de dinheiro como se compreende hoje este; homem parte do ano é um homem da cidade, no restante acompanha a movimentação de seus rebanhos. Ele pertence a um período anterior ao sacerdócio e a religião organizada, ou quem sabe era de uma região em que estas coisas não eram necessárias; eu me refiro ao servo de Deus chamado Jó. Este é o personagem de quem Deus deu testemunho como diria os mais conservadores, podemos também compreender que este é o homem que Deus o Elogiou, embora o próprio Jó não soubesse disso; mas satanás ficou sabendo, e Deus elogiava Jó perguntando a satanás assim: “...Observaste o meu servo Jó? Porque ninguém há na terra semelhante a ele, homem íntegro e reto, temente a Deus e que se desvia do mal, (Jó 1. 8).

O próprio Jesus também elogiou aos discípulos, a atitude de uma pobre viúva que ofertou realmente o seu melhor na arca do tesouro (Mc. 12. 41- 44) . Enfim é bem verdade que esta questão do elogio esta sobre uma linha muito tênue pois se o elogiado não souber digerir tais honraria ele pode acabar se prejudicando, Freud destaca que “podemos nos defender de um ataque, mas somos indefesos a um elogio.”

O importante é que o elogio abre as portas para a critica como dizia PIERRE BEAUMARCHAIS “Sem liberdade de criticar, não existe elogio sincero.” Diante do que comentamos quero incentivá-los a exercer esta pratica, elogie sempre que necessário, destaque sempre as virtudes de uma pessoa embora ela apresente o seu lado negativo. Eu aprendi que até pinheiro da fruto, quem nunca comeu um pinhão assado na chapa do fogão a lenha ou cozido, é o fruto do pinheiro, que por sinal tem muito espinho.

Em contra partida quem nunca ouviu alguém dizer assim: Se eu for depender de bajulação para ser promovido então eu nunca serei... hum, bajulação, um mal disfarçado de obediência cega, de submissão total, de fidelidade, de companheirismo e etc.. Na bíblia encontramos o seu derivado, como lisonjeador que significa dirigir elogios interesseiros a alguém. O lisonjear valoriza o excesso, o exagero, e tudo que é, em exagero é prejudicial. Judas irmão de Jesus e de Tiago escreve assim: “... A sua boca diz coisas arrogantes; são aduladores dos outros, por motivos interesseiros (Jd.16).” É importante lembrar que aduladores também é um derivado de bajulação. O apóstolo Paulo se prevenia, não queria ser confundido como se tivesse este comportamento, “A verdade é que nunca usamos de linguagem de bajulação, como sabeis, nem de intuitos gananciosos. Deus disto é testemunha (1Ts. 2. 5).” François de La Rochefoucaud expressou: “A bajulação é a moeda falsa que só circula por causa da vaidade humana.”

Mas é bom deixarmos claro a diferença entre o elogio e a bajulação, é algo muito simples. “Um é altruísta; a outra é egoísta. Um é universalmente admirado; a outra universalmente condenada.” Conta-nos as sábias palavras da filosofia do general Obregon (do México): "Não tenha medo dos inimigos que o atacam. Tenha medo dos amigos que o bajulam.” Tudo em que consiste a bajulação é: elogio barato, o elogio em exagero. Li certa vez uma definição da bajulação que merece ser repetida: "Bajulação consiste em dizer a outro homem justamente o que ele pensa acerca de si mesmo". Digo eu, muitos precisam ouvir somente um elogio sincero para despontar em triunfo. Enquanto outros precisam dar um basta na bajulação, para não serem traídos pelo seu próprio ego. Reflita sobre isto...

 
Colunista: Pb. Alexsandro V. do Prado Cunha



Pós Graduado em Exegese e interpretação pela Fac. Batista do Paraná, e Bacharel em Teologia pela Fac. Evangélica do Paraná.


email: alex.teol@gmail.com
Postar um comentário