3 de janeiro de 2011

Dilma e a Solidão do Poder



Exma. Sra. Dilma Rousseff

Presidente do Brasil

Um dos grandes problemas de todo presidente de empresa, empresário, governador e Presidente da República é a síndrome da solidão do poder.

Ela surge logo depois da posse, depois da euforia da conquista, quando cai a ficha que você é o chefe supremo da organização.

Harry Truman, Presidente dos EEUU em 1930, colocava na sua mesa a placa "Os pontapés terminam aqui".

Ou seja, o Presidente não pode mais culpar os outros pelos seus fracassos. Ele ou ela são os únicos culpados.  A culpa pelas decisões equivocadas da sua empresa ou governo será sempre sua, o que gera imensa solidão. E esta solidão Exma Sra. Dilma, poderá lhe tornar presa de dois grupos de subordinados.

O primeiro é a turma dos puxa sacos. Eles percebem que o presidente da empresa está inseguro e mentem descaradamente dizendo que tudo está bem, que o presidente é o máximo, que as decisões foram brilhantes. É o que está acontecendo com Hugo Chavez. Aí, o presidente tende a procurar cada vez mais os puxa sacos, e eles ganham cada vez mais poder.

O segundo grupo é a turma do "deixa comigo" e dos "eu resolvo este problema para o senhor/a". Inseguro, o presidente começa a delegar cada vez mais decisões que ele deveria tomar e os "deixa comigo" ganham cada vez mais poder. Aí, a solidão do poder entra na sua fase aguda.  É quando o presidente percebe que seus "melhores" auxiliares não são auxiliares, mas pessoas que estão lutando para substitui-lo, mais dia menos dia. Nesta fase, o presidente começa a não confiar mais em ninguém, não discute mais com ninguém e começa a tomar todas as decisões sozinho. É o aconteceu com Stalin, na sua fase "Stalinista". Outros sucumbem à solidão do poder entrando em depressão, tomando calmantes, procurando sexo como o Bill Clinton.

A solução para a "Solidão do Poder" é a criação de um pequeno grupo de "consiglieris", um nome muito infeliz, mas eu explico. O consiglieri ficou famoso no filme O Poderoso Chefão, onde Don Corleone tinha um conselheiro irlandês, brilhantemente interpretado por Robert Duvall. Por que um irlandês ? Porque um irlandês jamais teria ambições políticas de ser líder da máfia italiana. Pedir conselhos para os subordinados que querem seu cargo é querer ser traído ou ver tudo sendo vazado para a imprensa. Foi o erro de Lula quando escolheu você sabe quem.

Presidentes de empresas criam Conselhos Consultivos ou de Administração, que são compostos de outros presidentes ou consultores aposentados, e portanto não são ameaça. Bons consiglieris jamais tomarão por você as decisões que precisam ser tomadas nem lhe puxarão o saco. Consiglieris sempre lhe dirão a verdade. Darão as informações que o presidente precisa para tomar suas decisões. Consiglieris têm a função primordial de auxiliar outras pessoas a tomar a decisão certa, nunca insinuarão a decisão a ser tomada, uma sutil diferença. Um consiglieri jamais dirá, acho que Ministro Y deve ser substituído ou que o Programa Z deve ser descontinuado. Ele faria as perguntas apropriadas para aprimorar a sua capacidade de tomar decisões, e não substitui-la. "Porque a VExma não consulta o fulano e sicrano, ou analisa este dado ? "Apontaria consequências não abordadas, aspectos ainda não analisados, sugeriria outras pessoas a serem consultadas, mas a decisão seria sempre sua. Um consiglieri faz você crescer como pessoa. Todos nós deveríamos desenvolver um ou dois consiglieris pessoais.

Eu sugiro que a VExma converse com meu amigo, Claudio Galeazzi, um dos melhores turn-around managers do Brasil. Ele faz o que a VExma pretende fazer no primeiro ano de mandato. Ele melhor do que ninguem, poderá alertar os erros a serem evitados. Será um excelente consiglieri. Pelo que me consta, Lula a escolheu porque você era uma excelente Consiglieri.

Lula confidenciou a um amigo meu que você era uma dos poucos Ministros que o ajudavam a tomar a decisão certa, que colocava todos os ângulos da questão, que não insinuava que decisão deveria ser tomada, pelo menos não no primeiro momento.

Ou seja, que você era intelectualmente honesta, algo que a imprensa nunca comentou. Foi por isto que Lula escolheu você quando tinha várias outras opções, algo que tenho certeza ele ainda não lhe contou, porque ficaria mal com os demais Ministros. Os consiglieris nas empresas servem ao cargo, não cobiçam o cargo.

O peso do cargo de Presidente da República continuará insuportável, mas se você constituir um pequeno grupo fora do poder, que não cobiça o poder, que somente tem como objetivo aguçar o seu pensamento e capacidade de decidir, você não ficará tão sozinha nem vulnerável.

Pense Nisso.

Atenciosamente, seu eterno contribuinte de impostos cada vez mais insuportáveis,

@StephenKanitz
Postar um comentário