2 de março de 2011

CULTO DE ENSINO - 01/03/11 - CORRENDO A CARREIRA CRISTÃ - PR. WAGNER TADEU DOS SANTOS GABY

INTRODUÇÃO

•A vida cristã não é estática, ela é dinâmica.
•Há muitos degraus para a eternidade. A cada dia que passa, nós subimos um degrau a mais.
•O apóstolo Paulo, por diversas vezes compara a vida cristã como uma corrida, uma competição (1 Co 9.24-27; Gl 2.2; 5.7; Fp 2.16; 3.13,14; 1 Tm 6.12; 2 Tm 4.7,8a).
•Ele nos diz que como atletas do Senhor, estamos correndo no estádio da vida para alcançar a coroa incorruptível.
•Essa “grande nuvem de testemunhas” diz respeito ao grande número de heróis da fé mencionados no capítulo 11.
•Os heróis da fé não são espectadores que estão assistindo do céu e torcendo para a atual geração de cristãos que está engajada na corrida cristã.
•Eles são testemunhas através do exemplo de fidelidade que deixaram para nos encorajar na carreira cristã.
•Como, então, devemos correr a carreira cristã?


I – DESEMBARAÇANDO-NOS DE TUDO O QUE PREJUDICA O NOSSO AVANÇO ESPIRITUAL
1. DO FARDO/PESO

a) Que nos torna vagarosos.
• O mundo hoje corre, mas será que a Igreja não está andando muito devagar?
• O cristão precisa ter senso de urgência (Jo 4.35; 9.4; Rm 12.11).

b) Que nos atrapalha.
• Na vida cristã é preciso que nos desvencilhemos das coisas que nos atrapalham.
• O corredor coloca de lado tudo o que dificulta a corrida e evita qualquer coisa que possa desqualificá-lo ou impedi-lo de vencer.
• O “embaraço” significa qualquer tipo de peso (práticas, idéias, relacionamentos, hábitos, atividades), que mesmo não sendo pecado, dificulte ou impeça que o corredor ganhe a corrida (1 Co 6.12).
• Paulo usa a frase “todas as coisas me são lícitas” duas vezes neste versículo e duas vezes em 10.23.
• Alguns crentes de Corinto se colocaram acima das restrições morais se posicionando espiritualmente.
• Eram crentes arrogantes que se sentiam livres para fazer com seus corpos o que lhes agradasse, porque:
• Cristo eliminou todos os pecados, e, assim, eles tinham completa liberdade para fazer o que quisessem.
• Que suas ações não estavam estritamente proibidas pelas Escrituras.

1) Paulo respondeu às suas desculpas, dizendo que:
• O fato de Cristo ter tirado os nossos pecados não nos dá a liberdade para continuarmos fazendo o que sabemos ser errado.
• O N.T. proíbe especificamente muitos pecados (1 Co 6.9,10) que eram proibidos no A.T. (Rm 12.9-11; 13.8-10).

2) Algumas ações não são pecaminosas em si, porém não são apropriadas porque podem controlar nossa vida e afastar-nos de Deus.

3) Algumas ações podem magoar as pessoas. Qualquer coisa que magoe ao invés de ajudar os outros não é correta. “Ninguém busque o proveito próprio” (1 Co 10.24; Fp 2.4).

4) Enquanto Paulo ensina que o cristão é realmente livre, também diz: “Não useis, então, da liberdade para dar ocasião à carne” (Gl 5.13). Sobre a liberdade cristã e comportamento cotidiano ler Rm 8.

5) Em última instância, tudo deve ser feito para a glória de Deus (1 Co 10.31).
 
c) Que nos pesa.
• Quando vimos a Cristo e o aceitamos como Salvador, deixamos a seus pés nosso fardo de pecados.
• Os atletas dispensam qualquer peso desnecessário e não levam nenhuma bagagem para a corrida.
• Da mesma maneira, nós devemos evitar as distrações e todos os impedimentos que possam comprometer a nossa concentração na caminha cristã.
• Há muitos crentes que ainda não se libertaram de alguns tipos de fardo ou peso (Mt 11.28-30).

d) Do pecado.

1) Quatro idéias sobre o texto:
a) “O pecado que se agarra firmemente em nós”(B.L.H.);
b) “Pecados que se enroscam tão fortemente em nossos pés e nos derrubam” (Bíblia Viva).
c) “O pecado que nos envolve”(Bíblia de Jerusalém);
d) “O pecado que tenazmente nos assedia”(A.R.A.). (facilmente nos cerca!).

2) “O pecado que tão de perto nos rodeia”:
a) a tendência ao desvio na vida espiritual;
b) a estagnação;
c) a imaturidade prolongada;
d) o ato de pecar deliberadamente (dolo, intenção, premeditação).

• Estas coisas podem prender os pés e levar uma pessoa a cair, sair da corrida e perder o prêmio.
• O prêmio é a “vida eterna, o presente de Deus para todos aqueles que completam a corrida”.

3) O corredor, o atleta cristão, para ser bem sucedido na sua carreira, precisa desembaraçar-se:
a) Há algumas coisas na sua vida que ainda o estão embaraçando?
b) Seus pés ainda estão presos, enroscados nas malhas do pecado?
c) Seja um corredor livre, desimpedido, solto, desembaraçado! (Hb 4.16 – B.E.P.)

II – COM PERSEVERANÇA

1) A vida cristã exige perseverança.
a) Cerca de três milhões de pessoas saíram do Egito, e destas, somente duas chegaram à terra prometida (Josué e Calebe). Todos os demais foram sepultados no deserto!
b) A palavra perseverança (gr. hhupomone) dá a idéia de paciência, persistência, constância, da corrida firme até o fim, a despeito das dificuldades (Hb 10.36; Fp 3.12-24).
c) Devemos correr com perseverança. Quando a vida cristão é comparada a uma corrida, não se trata de uma prova de curta distância, mas de uma maratona.
d) É necessário que se tenha determinação e perseverança nesta longa prova.
e) Não é difícil correr velozmente um trecho de curta distância; porém correr de modo estável e persistente uma longa distância exige resistência.
f) Os heróis da fé correram com perseverança. Nós devemos fazer o mesmo.

2) A perseverança é uma das principais características do atleta cristão. O prêmio, o galardão, a recompensa, estão reservados para aqueles que, perseverando, chegarem ao fim.

3) “A carreira” – Paulo usou várias vezes a palavra grega agõna = conflito, referindo-se:

a) ao seu sofrimento (Fp 1.30);
b) aos seus esforços em prol dos colossenses (Cl 2.1);
c) à oposição que encontrou na pregação do evangelho (1 Tm 6.12);
d) ao combate da fé (2 Tm 4.7).

4) Detalhe: Os competidores não podem escolher sua própria corrida, porque a “carreira” nos está proposta pelo próprio Senhor. Ela está no programa de Deus!

III – OLHANDO FIRMEMENTE PARA JESUS

1) Por que os nossos olhos precisam estar fixos em Jesus?
a) Ele é o autor da nossa fé;
b) Ele é o comunicador da fé;
c) Ele é o nosso líder;
d) Ele é o nosso orientador;
e) É dele que vem a nossa fé.
f) Ele é o nosso alvo (Fp 3.14).

2) O verbo traduzido “olhando firmemente para ... Jesus” (gr. aphorõntes eis) sugere a pessoa desviando firmemente o seu olhar de outras pessoas e dirigindo sua atenção a Jesus.

• Sugere a impossibilidade de olhar em duas direções ao mesmo tempo.
• Ilustração: Prisioneiro condenado à morte!

3) Caros irmãos, à margem do caminho para o céu nós encontramos amigos que nos inspiram e nos encorajam, mas também há muitos que nos criticam.

• O corredor que está determinado a vencer não deve olhar para os concorrentes, mas deve manter o olhar fixo na meta final, no seu objetivo.
• Para quem você está olhando?
• Para homens?
• Para líderes humanos?
• Para os prazeres carnais?

4) Quando Pedro caminhou sobre as águas do mar da Galiléia olhando para Jesus, tudo correu bem.

• Quando ele tirou os seus olhos do Mestre e passou a contemplar a força do vento e das ondas, então ele começou a afundar (Mt 14.29,30).

5) Fixando nossos olhos em Jesus, autor (líder, pioneiro) e consumador (aperfeiçoador) da fé, receberemos forças para perseverar diante das provações, das perseguições, do sofrimento e do desânimo espiritual.

“Não temas, porque eu sou contigo; não te assombres, porque eu sou teu Deus; eu te esforço, e te ajudo, e te sustento com a destra da minha justiça” .

CONCLUSÃO

Você iniciou uma carreira gloriosa: está correndo em direção à Jerusalém celestial. Para que você chegue lá é necessário que:

1. Você se desembarace do pecado – seja um corredor desembaraçado.
2. Você persevere – não fique em meio à jornada, vá até o fim (Dn 12.13).
3. Você deve olhar somente para Jesus – tire os seus olhos dos vendavais desta vida, olhe firmemente para Jesus!

Autoria e autorização: Pr. Wagner Tadeu dos Santos Gaby
Postar um comentário