13 de março de 2011

Entrevista com o Pastor Wagner Gaby, com relação a Organização e Organismo Igreja



Através de uma iniciativa independente, de membros e obreiros da IEADC, conversamos com o Pastor Wagner Gaby sobre seus pensamentos em relação ao futuro de nossa igreja. Confira trechos desta conversa:


A participação dos membros na escolha do pastor presidente estabelece um novo momento na história de nossa igreja. Como o senhor avalia esta participação?

Este processo obedece o que está previsto no Estatuto de nossa Igreja, onde a Assembléia Geral (constituída dos membros da Igreja) deve eleger seu Pastor Presidente. Isso significa que os membros, os cooperadores, os diáconos, os presbíteros, os evangelistas e os pastores poderão votar, expressando desta maneira a vontade de toda a igreja. Estamos vivendo um momento singular e histórico, onde o Povo de Deus escolherá seu Pastor Presidente, com a devida clareza, lisura e democracia.

Pastor Wagner Gaby, quais os objetivos que norteiam nossa igreja?

A IEADC possui quatro objetivos principais, descritos em nosso Estatuto: Evangelização, Assistência Social, Ensino Bíblico Teológico e Missões. Está estruturada em duas áreas distintas: Eclesiástica e Administrativa. Entendo que é urgente a necessidade de resgatar os valores espirituais em primeiro lugar. “E os doze, convocando a multidão de discípulos, disseram: Não é razoável que nós deixemos a palavra de Deus e sirvamos as mesas. Escolhei, pois irmãos, dentre vós, sete varões de boa reputação, cheios de reputação, cheios do Espírito Santo e de sabedoria, aos quais constituamos sobre este importante negócio.Mas nós perseveraremos na oração e no ministério da palavra” (At 6.2-4).

Na área espiritual, seu pensamento seria, basicamente, orientado de que forma?

Na área Evangelística, o projeto iniciado pelo Pastor Pimentel, conhecido como “Uma congregação em cada bairro” deve ser continuado. Atualmente 23 bairros estão sem congregação. Deve haver maior investimento, treinamento, incentivo e engajamento de toda a Igreja para uma retomada da Evangelização. É necessário um maior aproveitamento dos evangelistas do nosso ministério, coordenando e realizando Cruzadas Evangelísticas contínuas no centro e nos bairros.

Na área Missionária, precisamos de um reestudo dos critérios de envio de missionários (preparo teológico, idioma, legalização para imigração, auxílio financeiro condizente e plano de saúde).

Um aspecto importantíssimo para a igreja é sua Consagração. Para isso, uma série de ações conjuntas devem ser aplicadas em todas as nossas congregações, como: (1) Instituição da Santa Convocação em todo o campo; (2) Instituição do Dia com Deus em todas as Congregações; (3) Maior apoio ao Círculo de Oração (não substituí-lo por União Feminina, desvirtuando de sua finalidade); (4) Um dia de oração e jejum com todos os obreiros da IEADC uma vez por mês; (5) Realização de mais cultos de vigília; (6) Maior consagração dos obreiros para a realização de cura e milagres; (7) Maior incentivo aos membros na busca do Batismo com o Espírito Santo.

Pastor Wagner Gaby, e a área social?

Pela graça de Deus, nossa igreja desenvolve uma atividade assistencial que atende seus membros e a comunidade local. Proponho a criação de um Orfanato da Igreja, resgatando dessa forma o Lar Gideão, a criação de um Albergue da Igreja, melhor atenção à terceira idade, com a criação de um Departamento específico, estruturação e padronização dos Núcleos Assistenciais nas Congregações e a ampliação do atendimento médico e odontológico aos obreiros e membros.

Na área de ensino, nossa igreja oferece diversos cursos aos seus membros e também para a comunidade. Na área teológica, todos os níveis são atendidos, básico – médio – superior. O que ainda precisa ser feito?

(1) Construção de prédio próprio para o Colégio da Igreja, Faculdade Teológica e os Cursos Especiais da Associação Educacional da IEADC; (2) Ampliação de Bolsa de Estudos para os Obreiros (Atualmente 50 obreiros são beneficiados com bolsas integrais de Estudo e mais de 20 alunos com bolsas parciais para o Curso de Bacharelado em Teologia); (3) Criação de Curso Bíblico para candidatos indicados ao Ministério; (4) maior apoio à Escola Bíblica Dominical.

E a música?

Precisamos levar a Escola de Música para todas as regiões de Curitiba, regionalizando dessa forma sua ação. Isto é possível viabilizando as normas aprovadas pela Secretaria de Música da IEADC.

A família possui algum departamento específico?

Sim. A IEADC é orientada por Superintendências (Administração Ministerial e Congregações, Educação Cristã, Eclesiástica, Evangelismo, Missões e Família). O Regimento Interno de nossa igreja, prevê no seu Manual de Organização, uma série de ações que devem ser efetuadas. O novo pastor presidente deve dinamizar estas normas. É esta área que trabalha diretamente com os departamentos Infantil, Adolescentes, Jovens, Casais e Círculos de Oração.

Em relação aos obreiros da IEADC, ou seja, o ministério, quais pensamentos podem efetivamente ser propostos?

(1) Continuidade dos Seminários de Capacitação e Atualização dos Obreiros, com objetivo de qualificar e tratar de assuntos específicos dos dirigentes de congregações. (2) Valorizar a família dos obreiros. (3) Criação de uma Caixa de Socorro aos obreiros em casos emergenciais. (4) Revisão dos critérios para integração de novos obreiros de acordo com a disponibilidade financeira da Igreja. (5) Estudo para concessão de Plano de Saúde aos obreiros (parceria). (6) Ampliação do Plantão de Aconselhamento com pessoal treinado para as congregações. (7) Implantação urgentíssima de um programa de visitação padronizado para o Campo. (8) Agrupamento das Congregações em Setores, conforme já consta no artigo 63 do Estatuto da nossa igreja.

Sabemos que a IEADC está estruturada em duas áreas distintas: Eclesiástica e Administrativa. Na área administrativa, qual é sua proposta?

Na área administrativa, proponho ações no campo do Planejamento e Controle, e, ações na Diretoria Executiva. No âmbito do Planejamento e Controle, é necessário elaborar um Plano Geral constante no Regimento Interno de nossa igreja (Capítulo III – art. 5º), que diz respeito ao sistema de planejamento e controle das metas administrativas e eclesiásticas, constituído por: (1) Diretrizes Estratégicas: que definem os objetivos, as políticas, as diretrizes fundamentais e estratégicas administrativas e eclesiásticas da IEADC. (2) Diretrizes de Funcionamento: que estabelecem instruções econômicas, eclesiásticas e administrativas para a elaboração das Diretrizes Operacionais. (3) Diretrizes Operacionais: que consolidam as ações a serem desenvolvidas para realizar os programas e projetos em consonância com as Diretrizes Estratégicas e as Diretrizes de Funcionamento, dele resultando o Orçamento Anual da IEADC.

Proponho a contratação de profissional especializado em controle de gestão para assessorar o Pastor-Presidente na elaboração das políticas estratégicas administrativas e eclesiásticas da IEADC.

Em relação à Diretoria Executiva: (1) Desmembramento da Diretoria de Obras e Patrimônio, para maior controle do patrimônio da IEADC; (2) Reestudo da política de construção de templos (mais funcionalidade, menos ostentação - projetos de templos pré-moldados – melhor custo-benefício); (3) Reescalonamento de prioridades das reformas; (4) Programa de Consórcio para aquisição de imóveis, construção e reformas de templos; (5) Programa de Consórcio para renovação da frota de veículos da IEADC para melhor atendimento da obra de Deus; (5) Elaborar projeto de aumento das contribuições financeiras (ofertas e dízimos).

“Humildemente, me comprometo em dar continuidade ao trabalho realizado pelo nosso querido Pastor José Pimentel de Carvalho, cuidando da doutrina, juntamente com os companheiros de ministério”!

“Eu, de muito boa vontade, gastarei e me deixarei gastar pelas vossas almas, ainda que, amando-vos cada vez mais, seja menos amado” (2 Co 12.15).
Postar um comentário