3 de maio de 2011

Função Primária da Família - Mensageiro da Paz - Ano 81 - Número 1.512 - Maio de 2011

Primeiramente registro minha gratidão à todos do Departamento de Jornalismo da CPAD,  por mais uma vez, ser contemplado com a grata satisfação de servir esta "Casa" com meus singelos artigos. Aproveito para renovar votos de amizade, estima e sucesso em vossas carreiras ministeriais.

Em segundo, louvo a Deus pelo Ministério da Igreja Evangélica Assembléia de Deus em Curitiba, na pessoa de seu Presidente Pastor Wagner Tadeu dos Santos Gaby, por quem sou pastoreado e que sempre tem investido, ajudado e se esforçado para que seus obreiros possam contribuir com o Reino de Deus.

Em terceiro, recomendo o Jornal em apreço, por conter informações importantes de nosa Denominação, como também, boas matérias para edificação pessoal.

A função primária da Família
Vivemos um período atípico da história da humanidade (II Tm 3.1). Nunca antes se registrou mudanças tão gigantescas em tempo recorde e descobertas científicas extraordinárias (Dn 12.4). A multiplicidade de eventos novos facilmente nos assustam, e ao mesmo tempo, nos desafiam à dominá-los (Mt 24.6). Todavia, há um fenômeno preocupante atingindo diretamente as raízes da instituição familiar. Percebemos pelas evidências, que a Instituição Familiar como padrão divino para a estrutura social está cada dia mais distante. Sendo assim, posso afirmar, sua família está em risco (Mt 24.12).
Diante desta realidade não esperamos lamentos, reclamações, esterias, surtos, nem mesmo espíritos messiânicos, pois disso o mundo está cheio (Mt 24.5). O que todos esperamos e precisamos é aferir de forma clara a situação individual de nossa família e empreender todas as ações possíveis para torná-la mais saudável (Ef 5.25). Todos, indistintamente todos, devem somar forças e contribuir de forma direta ou indireta para o fortalecimento dos laços familiares e perseverarmos até o fim, a favor de nossa fé e de nossa família, nosso maior tesouro (Mt 24.13).
O alvo primário da família
Quando olhamos a família de uma ótica restrita, só conseguimos enxergar a nossa própria casa. Mas quando olhamos a família com uma ótica holística, na dimensão que Deus vê, percebemos um projeto muito maior e divino.  A sua família, nada mais é que um ambiente dado por Deus para que você contribua para a humanidade. É bem verdade que requer certa dedicação exclusiva ao seu lar, um esforço direcionado aos familiares mais próximos, no entanto, estas ações terão eco e reverberaram lá fora, na humanidade. Todos nós fazemos parte de um sistema, e cada engrenagem deste sistema ao ser movido modifica um todo e não somente uma parte. Cada vez que Deus nos leva a uma relação saudável em nossa casa, estamos indiretamente influenciando de forma saudável uma sociedade. Cada vez que exercemos ações saudáveis com nosso cônjuge estamos lançando sementes que frutificarão no amanhã e muitos colherão desta semeadura. É a mais pura verdade ainda que você nunca tenha parado para pensar.

           Convite ao Amor
Deus nos deixou em sua Palavra o segundo maior mandamento dizendo “Amarás ao teu próximo como a ti mesmo” (Mt 22.39). É no ambiente familiar que se inicia esta seção de exercícios sobre amar; dentro de nossos lares, com nossas famílias, começamos a exercer o amor ao próximo. Amar os de fora as vezes é fácil, mas amar quem conhecemos na intimidade, muitas vezes é muito mais difícil.
O Cristo afirma: “Pois, se amardes os que vos amam, que galardão tereis? (Mt 5.46). Sendo assim, percebemos que devemos amar a todos e muito mais, nossa família porque é um mandamento divino. Este amor modificará todo o ambiente familiar, e mais, colaborará com a sociedade. Ainda que pouquíssimas pessoas reconheçam, muitos estão guardando sentimento de ódio, raiva, e até de morte pelos seus familiares. Mas Deus e somente Ele, pode remover estes sentimentos ruins e sarar a alma de qualquer ser humano.
O Cristo continua ainda afirmando: “Ouvistes que foi dito: Amarás o teu próximo e aborrecerás o teu inimigo. Eu porém, vos digo: Amai a vossos inimigos, bendizei os que vos maldizem, fazei bem aos que vos odeiam e orai pelos que vos maltratam e vos perseguem, para que sejais filhos do Pai que está no céus; porque faz que o seu sol se levante sobre maus e bons e a chuva desça sobre justos e injustos” ( Mt 5.43-45). Nos deparamos com um dos maiores e mais complexos desafios da humanidade, aprender a amar!
 Aprendendo na prática
Muitos dos que fizeram faculdade tiveram que fazer estágio para colocarem em prática o que haviam aprendido. E assim é a família. Local ideal para aplicarmos as lições aprendidas na Palavra de Deus. A família é um laboratório. A família é um lugar de possibilidades. A família é uma oficina excelente, onde somos convidados a colaborar com nosso próximo, praticando a lei do Amor, de forma mais intensa e desafiadora.
É neste ambiente que somos experimentados, provados, e aprovados se vivermos amavelmente. Teremos vários níveis de estágios, começando pela vivência filial, depois à conjugal, então maternal e paternal e a continua fraternal. Só seremos aprovados se vivenciarmos uma relação de amabilidade progressiva. Isso não representa uma vida de perfeição, longe disso, mas de progresso no processo colaborativo de desenvolvimento amável. Aprimorando a tolerância, a aceitação, suportando e perdoando, assim como Cristo ensinou, considerando a todos como membros de uma relação familiar (Cl 3.13).
Não deixe para amanhã, vivencie o amor de Deus em seu contexto familiar ainda hoje, resgate sua família ou seu casamento, libere perdão se for preciso, invista a fim de salvar o coração da sociedade, a sua família.
Postar um comentário