31 de outubro de 2011

Lição do Bambu japones - raízes, o segredo do sucesso!


Há algo muito curioso que sucede com o bambú japonês e que o transforma em não apto para impacientes: você faz a semeadura, cuida e o rega constantemente. Durante os primeiros meses não acontece absolutamente nada. Na realidade nada acontece durante os primeiros sete anos, a tal ponto, que um cultivador inexperiente ficaria convencido de ter comprado sementes ruins. No entanto, durante o sétimo ano, num período de somente seis semanas... o bambú cresce mais de 30 metros.

Demorou só seis semanas para crescer? Não, a verdade é que se tomou sete anos e mais seis semanas para se desenvolver. Durante os primeiros sete anos de aparente inatividade, este bambú estava gerando um complexo sistema de raízes que lhe permitiriam sustentar o seu crescimento.

No entanto, na vida quotidiana, muitas vezes queremos encontrar soluções rápidas, triunfos apressados, sem entender que o sucesso é simplesmente resultado do crescimento interno e que este requer tempo. Talvez pela mesma impaciência, muitos daqueles que aspiram resultados em curto prazo, abandonam subitamente quando já estavam a ponto de conquistar a meta. É tarefa difícil convencer o impaciente que só chegam ao sucesso aqueles que se mantêm em forma perseverante e coerente e sabem esperar o momento adequado.

Do mesmo modo é necessário entender que em muitas ocasiões estaremos em frente a situações nas quais acreditamos que nada está acontecendo. E isto pode ser extremamente frustrante. Nesses momentos (que todos temos), é importante recordar o ciclo de amadurecimento do bambú japonês, e aceitar que -sem que baixemos os braços - algo esta sucedendo dentro de nós: estamos crescendo, madurando.

Quem não se dá por vencido, vai gradual e imperceptivelmente criando os hábitos que lhe permitirá sustentar o sucesso quando este ao fim se materializar. O triunfo não é nada mais que um processo que leva tempo e dedicação. Um processo que exige aprender novos hábitos e nos obriga a descartar outros. Um processo que exige mudanças, ação e formidáveis doses de paciência.

Tempo... Como nos custam as esperas. Que pouco exercitamos a paciência neste mundo agitado no qual vivemos... Apressamos nossos filhos em seu crescimento, apressamos o motorista do táxi... nós mesmos fazemos as coisas de forma apressada sem saber bem por que... Perdemos a fé quando os resultados não aparecem no prazo que esperávamos, abandonamos nossos sonhos, geramos patologias que provêm da ansiedade, do estress... Para que?

O melhor que temos a fazer é recuperarmos a perseverança, a espera, a aceitação. Controlar a toxina chamada impaciência, que nos envenena a alma. Senão estaremos por aí somente jogando sementes ao vento


Leia mais em: O bambu - Metamorfose Digital http://www.mdig.com.br/index.php?itemid=1754#ixzz1cMwiQjJb
Postar um comentário